2017 ~ Rádio Cidade GOSPEL

13/10/2017

Ratinho rebate Veja e crava: “Não conheço nenhum evangélico que atrapalhe o Brasil”


O apresentador Carlos Massa, vulgo Ratinho, usou seu programa no SBT para responder ao artigo “Essa gente incômoda”, publicado pelo editor da revista Veja, J. R. Guzzo, com críticas ao setor evangélico da sociedade 75596/
Ratinho diz claramente que não gostou do que Guzzo escreveu, porque seu artigo tem uma conotação preconceituosa e tenta transmitir a responsabilidade pelas mazelas do país aos evangélicos, justamente o setor da sociedade que, ao lado de católicos e espíritas, promovem os maiores, mais estáveis e relevantes projetos sociais do país.
“Eu não conheço nenhum evangélico que atrapalhe o Brasil. Só conheço esse povo pregando a paz. Quem está atrapalhando o Brasil é o povo que está guerreando na Rocinha, assaltando em São Paulo, e que não se toma providência”, afirmou.
Em seu comentário, ele citou o recente caso da quadrilha que arquitetou um plano para assaltar uma agência do Banco do Brasil em São Paulo, cavando um túnel que daria acesso ao cofre, e lembrou que todos os envolvidos eram pessoas com passagens pela Justiça que haviam sido soltas e voltaram a praticar crimes.
“O problema não está nos evangélicos. Os evangélicos ensinam o bem. Tem cara que não aprende, mas que ensina, ensina”, salientou o apresentador. Assista:

https://www.facebook.com/pastorclaudiofeliciano/videos/14288016871

12/10/2017

Batismo é ato de profissão de fé! AD MIRESC Itumbiara.

 

Hoje é um dia muito especial, pois nossos irmãos desceram às águas batismais.
O batismo foi testificado por Jesus quando pela idade de 30 anos quando fora ao encontro de João Batista (Mateus 3:13-17). Este, era chamado “batista”, porque batizava as pessoas no Rio Jordão ao se arrependerem de seus pecados.
Em Marcos 16: 15-16, Jesus Cristo afirma o ato do batismo como algo anexo em quem crer que Jesus Cristo é o Salvador, ao enviar os seus discípulos às nações. “Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer, já está condenado”.
Seguindo o exemplo de Jesus, a sua igreja pratica o batismo por imersão. Ao imergir, ocorre um simbolismo ali, como que o velho homem morrendo com seus pecados, deixados ali, nascendo então, uma nova criatura em Cristo Jesus, ocorre mediante ao arrependimento de pecados e por isso, não é praticado por crianças e bebês que não possuem ainda pecados, por mais que tenham nascido do pecado. As crianças são inocentes, não malícias e nem intenções ruins em seus corações.
Em símbolo de comunhão com Cristo e sua igreja, logo após o batismo, participamos da Santa Ceia do Senhor com, agora, aqueles que são salvos, batizados e estão em comunhão.
Assembleia de Deus no Brasil – Pr. Amauri Mendonça
Uma igreja que segue os ensinamentos da Bíblia Sagrada!

  


  


  


  


  


  


  


  


  


  


  


  


  


  


  



06/09/2017

Mais de 200 ONGs cristãs são fechadas em Bangladesh, com nova lei que restringe doações




Segundo informações fornecidas por grupos cristãos locais, que trabalham em Bangladesh, o governo encerrou cerca de 200 ONGs cristãs que operam no país. A ação foi tomada graças a uma nova lei aprovada no ano passado. A Persecution.org detalhou o caso.
A Lei do Regulamento das Doações Estrangeiras, aprovada em outubro de 2016, deveria ser um processo de controle sobre os grupos terroristas que recebem fundos fora de Bangladesh. O texto foi aprovado na sequência do ataque ao Holey Artisan Bakery, no ano passado em Dhaka.
Apesar disso, os grupos cristãos mostraram indignação por serem alvos diretos da nova regra que restringe o financiamento de atividades religiosas. O processo criou um problema para muitas ONGs lideradas por igrejas que tiveram de encerrar suas atividades devido à incapacidade de obter financiamento.
Uma outra forma
Mas há uma maneira de contorná-lo, explica Bruce Allen, da Forgotten Missionaries International. "Se você tem uma organização, mesmo que você seja parte de uma agência de missão cristã ou ONG, e que fornece serviços não religiosos, como um hospital ou trabalho de ajuda humanitária e seus serviços estão disponíveis para qualquer um em Bangladesh, então você pode continuar a operar", ressalta Allen, de acordo com a revista Mission Network News.
Ele continua e explica que na verdade, o que o governo pretendia era atingir as ONGs que desempenhavam trabalhos religiosos. "Então, o que eles realmente estavam querendo era apenas bloquear as atividades religiosas e coisas que eram direcionadas especificamente para a comunidade cristã", pontuou.
O caso da Compassion
O mesmo caso aconteceu com a Compassion, na Índia. Foram mais de 500 projetos cancelados e cerca de 145 mil crianças sem apoio. Depois de quase 50 anos no país, a organização cristã foi forçada a sair da região. "Eu não quero exagerar, mas será realmente devastador para muitas dessas famílias", foi o que disse Justin Dowds, executivo-chefe da Compassion Britânica.
O governo indiano continua reprimindo as instituições de caridade estrangeiras as quais eles classificam como “ameaçadoras”. A Compassion é apenas uma das 11 mil ONGs que perderam o acesso a fundos estrangeiros desde que Modi chegou ao poder em 2014.

Crianças cristãs refugiadas só recebem comida se recitarem orações islâmicas, no Sudão




Crianças cristãs que estão em campos de refugiados no Sudão não estão recebendo comida, a menos que recitem orações islâmicas. As informações são dos relatórios recebidos por fontes próximas da instituição de caridade Aid to the Church in Need (ACN).
Um dos contatos locais da ACN, que pediu para permanecer anônimo por razões de segurança, descreveu como os refugiados cristãos do sul do Sudão estão em uma situação terrível. "Ouvimos histórias em que as crianças estão condicionadas a dizer orações islâmicas antes de receber qualquer alimento. Isto não está certo. Essas crianças são cristãs. Eles devem ser respeitados por isso", disse a fonte.
Estima-se que 700 mil cristãos do sul do Sudão são refugiados. A fonte acrescentou: "A maioria é deixada nos campos, alguns em situação muito precária. Eles estão confinados nesses lugares. Não tem permissão para ir ao norte das cidades”. Há relatos de que as famílias de refugiados sobreviverem com muitas dificuldades com alimentos fornecidos pelo governo.
Assistência aos campos
A instituição de caridade explicou que um pacote mensal de alimentos para uma família dura pouco mais de duas semanas, levando os pais a buscar provisões no mercado local. A ACN foi informada de que os itens fornecidos pela ONU são vendidos no mercado, muitos ainda marcados com logotipos da UNICEF.
A fonte da ACN continuou dizendo que o governo de Cartum impediu as instituições de caridade de prestar assistência aos campos, impedindo-os de supervisionar a ajuda de emergência. A fonte disse: "Ouvimos que o governo não permite que outras agências ofereçam apoio, incluindo as iniciativas de igrejas”.
Ele continua: "O governo sabe muito bem que a Igreja apoia os necessitados em todo o mundo”. A fonte disse que se identifica com as famílias sofredoras, especialmente porque ele foi refugiado quando criança. Referindo-se às visitas às famílias deslocadas no Sudão do Sul, ele disse: "Eu lhes disse que já fui um refugiado e que esse não era o fim da estrada. Agora posso contribuir com algo positivo para a sociedade".
O exemplo de Cristo
Ele comparou os refugiados com Jesus Cristo que fugiu com seus pais para o Egito quando criança, acrescentando: "Pedimos à humanidade que tenha um coração voltado para os refugiados. Eles devem ter um verdadeiro respeito, dignidade e seus direitos devem ser respeitados. Nunca maltrate um refugiado porque você nunca sabe o que o amanhã pode trazer".
Em maio, uma fonte que também pediu anonimato por razões de segurança, disse à ACN: "As igrejas no Sudão estão sendo destruídas, mas eles afirmam que é apenas um planejamento urbano. A Igreja não tem permissão para comprar imóveis”. Na mesma época, uma fonte da Igreja do Sudão disse à ACN: "As igrejas estão sendo derrubadas todo mês".

Diretores da Rádio Cidade Gospel de Itumbiara agradecem parceiros pelo apoio

A  equipe organizadora do Show de lançamento oficial da "RÁDIO CIDADE GOSPEL" de Itumbiara vem a público   agradecer a todos  os parceiros e  colaboradores  que  confiaram em nosso trabalho. Continuamos fazendo o melhor para realizarmos com seriedade e transparência este grande evento que será com certeza um grande sucesso. 
 A RÁDIO CIDADE GOSPEL a cada dia que passa  vem inovando para melhor  atender seus ouvintes, parceiros e clientes. E para brindar essa nova faze em breve estará inaugurando o seu novo e moderno estúdio de transmissão com novos programas AO VIVO, transmissões de eventos evangélicos em geral e eventos esportivos.









05/09/2017

Vem aí o 5º Encontro de Mulheres na AD MIRESC em Itumbiara


Neste mês de setembro, nos dias 16 e 17, acontece em Itumbiara o 5º Encontro de Mulheres "AD Miresc. O evento contará com a presença de preletoras de Itumbiara e Morrinhos alem da Banda "Restaura Life" e vários cantores e cantoras locais.
Com o tema "O Rei Está Voltando" as irmãs estão preparando duas noites de muito louvor e adoração. No sábado dia 16 de setembro, a pregadora Nayá Flávia de Morrinhos estará abrindo o encontro com uma palavra edificante aos espectadores presentes, e no domingo é a vez da cantora evangélica Mara Rubia entoar louvores e ministrar a palavra no fechamento da festa.  


24/08/2017

O diário secreto das meninas do Chibok sequestradas pelo Boko Haram



O sequestro de mais de 200 estudantes do Chibok foi o resultado acidental de um roubo malsucedido. É o que dizem duas das meninas que foram mantidas em cativeiro por três anos. A revelação foi possível por meio de diários secretos que foram obtidos pela Thomson Reuters Foundation.
Quando relembra a noite do sequestro, em abril de 2014, Naomi Adamu diz que os extremistas não foram atrás das meninas, mas queriam assaltar o lugar e levar maquinário de construção. Como não encontraram o que estavam procurando, não souberam o que fazer com as meninas. “Um deles dizia que deviam nos queimar, outros sugeriram que fôssemos levadas à Sambisa (base do grupo extremista). Eles falaram que Shekau, o líder, saberia o que fazer conosco”, escreveu Naomi.
Ela estava entre as 82 meninas libertadas em maio deste ano. Outras 21 já haviam sido libertadas em outubro de 2016. Elas estão em um local secreto em Abuja, para participar do que o governo do país chama de “processo de restauração”. Estima-se que ainda há cerca de 113 garotas em poder do Boko Haram.
Espírito de coragem, amor e equilíbrio
A autenticidade dos diários escritos por Naomi e a amiga, Sarah Samuel, não pode ser verificada ou usada como arma de negociação. Porém, as páginas escritas mostram o horror que as garotas passaram enquanto estavam sequestradas. Mais importante, mostram também a certeza de que um dia voltariam para casa.
Os diários começaram a ser escritos durante as aulas sobre o Alcorão, para a qual recebiam um caderno. Para escondê-los, elas os enterravam ou os escondiam debaixo da roupa. “Escrevemos juntas. Quando uma cansava, a outra continuava”, desabafa Naomi, de 24 anos, direto do local onde o governo mantém as garotas libertadas.
“Se me perseguiram, também perseguirão vocês”
A vida sob o domínio do Boko Haram incluía agressões, ensinos sobre o Alcorão, pressão para se casar com extremistas e se converter ao islamismo. As meninas mantiveram a personalidade, pois o diário mostra que usavam apelidos engraçados e humilhantes para os extremistas. Ainda assim, a crueldade era sempre citada.
Em certa ocasião, os ativistas reuniram garotas que se recusaram a abraçar o islamismo, trouxeram galões de gasolina e ameaçaram queimá-las vivas. “Eles diziam: ‘Você quer morrer. Se não quer ser muçulmana, vamos queimá-la’”, diz uma passagem do diário. Porém, os galões só tinham água e os extremistas riram da brincadeira.
Apesar de estar livre, Naomi se preocupa com sua grande amiga Sarah, que ainda está com o grupo e foi obrigada a casar com um deles. “Ela casou porque estava sem comida e água. Nem todos conseguem sobreviver nessa situação. Eu estou triste, muito triste. Penso nelas o tempo todo”, compartilha Naomi.
Pedidos de Oração: Clame ao Senhor pela libertação das garotas que ainda estão sob o domínio do Boko Haram. Peça a Deus por restauração e cura para as meninas libertadas. Ore pelas negociações. Interceda por sabedoria para os governantes do país durante esse processo.
Deixe o seu comentário no Verdade Gospel.
Fonte: Portas Abertas

ONU pede que EUA condenem racismo ‘incondicionalmente’


Especialistas de direitos humanos da ONU pediram nesta quarta-feira (23) que os Estados Unidos e sua liderança condenem “incondicionalmente” discursos de racismo e crimes, advertindo que um fracasso em fazê-lo pode desencadear mais incidentes violentos.
O comunicado de “aviso prévio e ação urgente”, reservado para situações sérias, foi emitido pelo Comitê de Eliminação da Discriminação Racial da ONU, e, por pouco, não criticou diretamente o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.
Trump foi alvo de críticas por ter responsabilizado ambos os lados pela violência em um protesto em Charlottesville organizado por neonazistas e nacionalistas brancos. Uma mulher, Heather Heyer, foi morta depois que um homem ligado aos nacionalistas brancos avançou com seu carro contra uma multidão de manifestantes de oposição aos supremacistas.
O comitê disse estar “perturbado com o fracasso no mais alto nível político” dos Estados Unidos em rejeitar demonstrações de racismo. Esse fracasso pode levar ao “abastecimento da proliferação de discursos e incidentes de racismo” nos Estados Unidos, disse o documento.
“Nós estamos alarmados pelas demonstrações de racismo, com slogans, músicas e saudações abertamente racistas, por nacionalistas brancos, neonazistas e pela Ku Klux Klan, promovendo a supremacia branca e incitando a discriminação racial e o ódio”, disse Anastasia Crickley, presidente do comitê.
Leia também: Neonazistas: Casa Branca define como terrorismo protestos na Virgínia
Deixe o seu comentário no Verdade Gospel.
Fonte: G1

23/08/2017

Marco Feliciano diz a professora agredida: “quem planta ódio, colhe ódio”





O deputado Marco Feliciano gravou um vídeo comentando o caso da professora Márcia Friggi, de Indaial, Santa Catarina. Nesta segunda (21), ela foi agredida por um aluno de 15 anos e contou em um post que viralizou no Facebook sobre os socos que levou dele dentro da escola que a deixaram com um corte no rosto.  A agressão foi destaque em todos os meios de comunicação, mas nas redes sociais gerou polêmica por conta das declarações de Friggi. Ela assume ser militante de esquerda, fazendo costumeiramente postagens defendendo Lula e Dilma, manifestando-se contra o juiz Sérgio Moro e políticos como Jair Bolsonaro. Feliciano deixou claro que é contrário a toda forma de agressão, mas classificou de “hipocrisia” a postura da professora que usa dois pesos e duas medidas para classificar o que é violência. Esse aluno que agrediu a senhora nada mais é que vítima de um sistema opressor”, provocou o parlamentar, lembrando dos ensinamentos de Paulo Freire, ideólogo da educação. “Paulo Freire diz que a senhora tem de desculpar esse aluno por que ele é fruto do sistema, a senhora tinha de perdoar ele, mas a senhora não fez isso”, acrescentou o deputado. O pastor criticou o discurso da professora Márcia, que classifica como agressão o que sofreu na escola, mas em entrevista à uma rádio declarou considerar “uma revolução” o fato de uma aluna universitária ter jogado um ovo em Jair Bolsonaro. 
“Menos hipocrisia, professora, por favor”, pediu Feliciano, que alertou: “Quem planta o ódio, colhe o ódio”.  Ele concluiu dizendo “sou contra toda violência, mas também sou contra qualquer tipo de violência, mas também sou contra professoras como essa… que usa a sala de aula para destilar ódio contra o Escola Sem Partido”. Na opinião do político, trata-se de uma relação de causa e efeito. “A senhora doutrina seus alunos e agora o feitiço vira contra o feiticeiro”, sentenciou.

22/08/2017

“Botei filho na escola para aprender português e matemática”, diz Malafaia, contra ideologia de gênero

O pastor Silas Malafaia vem subindo o tom no combate à ideologia de gênero e enviando recados claros e objetivos aos políticos que buscam conquistar o apoio das lideranças evangélicas nas eleições 2018. Malafaia, falando a língua do povo, afirmou recentemente que a função da escola não é ensinar ideologia de gênero para crianças: “Botei filho na escola para aprender português, matemática”, disse o pastor, incisivo. A declaração, dada ao Novo Notícias, aconteceu durante a Expocristã, evento no qual Silas Malafaia aproveitou para mandar um recado ao governador Geraldo Alckmin e o prefeito João Doria, ambos do PSDB, e especulados como candidatos à presidência da República no próximo ano. Afirmando-se a favor do “gênero humano”, Malafaia frisou na ocasião que a ideologia de gênero é “uma das maiores engenharias do diabo para destruir a família”, pois transforma a compreensão sobre o masculino e o feminino em uma escolha que ignora a formação biológica. Lembrando aos políticos presentes que evangélicos e católicos, somados, formam mais de 80% da população brasileira, seria sábio respeitar a compreensão dessa maioria sobre o assunto. “Como maioria num Estado de direito, vamos nos fazer prevalecer e isso é inegociável. […] Quem quiser fazer graça com o politicamente correto, segue aí o seu caminho. Não vamos entrar nesta furada de jeito nenhum”, disse o pastor. Na ocasião, o pastor Jabes Alencar, amigo pessoal de Malafaia , fez piada com a já famosa contundência do líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC): “Como ele está calmo, o Rivotril não estava vencido”. O pastor Claudio Duarte foi outro que esteve presente no encontro dos líderes evangélicos com os políticos, e deixou claro qual é a prioridade dos cristãos em relação a 2018: “Não é colocar crente na presidência, é colocar alguém que defenda nossos valores”.